Loading…

Programação

XIX JORNADA SUL RIO-GRANDENSE DE BIBLIOTECONOMIA E DOCUMENTAÇÃO

Democracia e Informação: sustentabilidade, inclusão e inovação

Segunda-feira, 05 de outubro – 19h às 22h

Agenda 2030: informação, solidariedade e sustentabilidade

A ação das pessoas e dos países atuando de forma colaborativa com medidas concretas para a prosperidade, a redução das desigualdades, a sustentabilidade e a paz mundial, busca concretizar os direitos humanos, a igualdade de gênero, a erradicação da pobreza extrema e o empoderamento feminino. A informação imparcial para a tomada de decisões é requisito indispensável nesse processo ambicioso de tornar o planeta sustentável econômica, social e ambiental. O papel das bibliotecas é desafiador e não nos permite que  ninguém seja deixado para trás. O Bibliotecário como mediador da informação está preparado para assumir este compromisso?

Adriana Cybele Ferrari (FEBAB/USP)– O papel das Bibliotecas e o desenvolvimento sustentável 

Sigrid Karin Weiss Dutra (UFSC)– O papel das Bibliotecas Universitárias na agenda 2030. 

Mediação: Flávia Brocchetto Ramos (UCS)




Terça-feira, 06 de outubro – 19h às 22h

Organização do conhecimento: inovação e tendências

Os Bibliotecários há muito estão habituados com ferramentas tradicionais de organização e representação do conhecimento como os Códigos de Catalogação,  tabelas de classificação, Tesauros, etc.

Contudo, essas ferramentas utilizadas cotidianamente nas bibliotecas não dão mais conta dos desafios que se apresentam.

Ultimamente os bibliotecários têm se deparado com uma nova realidade: a necessidade de organizar dados, que na maioria dos casos se apresentam de forma desestruturada, e as ferramentas e técnicas para a organização e representação desses dados não são suficientes.

Precisam ser revistas e discutidas, e/ou criadas novas estratégias de tratamento para a organização desses dados.

Concomitantemente a essas mudanças, é preciso considerar que o acesso a informação está disponível virtualmente e de forma aberta e muitas atividades deixarão de ser mecânicas e passarão a ser automatizadas, mas existem atividades que uma máquina não conseguirá desenvolver e o bibliotecário precisará de habilidades e competências pessoais, informacionais e tecnológicas para a resolução destes  problemas complexos.

Thiago Henrique Bragato Barros (UFRGS) – Representação e Organização do Conhecimento

Alisson de Castro (AI9BR) –  Inovação, mediação da informação e tendências 

Mediação: Fabiano Ferreira de Castro (USFCAR)




Quarta-feira, 07 de outubro – 19h às 22h

Direitos autorais e segurança da informação: direitos, privacidade e ética 

Vivemos inundados a todo momento com dados, informações e desinformações. A forma como nos relacionávamos com as informações mudaram rapidamente, com isso, trazemos nesse painel temáticas importantes a serem discutidas e que  oportunizem o compartilhamento de saberes acerca de direitos autorais, segurança da informação com ênfase em privacidade e ética.

Fabiano Couto Corrêa da Silva (UFRGS)- Segurança de dados, direitos ética e privacidade 

Enrique Muriel Torrado (UFSC) – Direitos autorais

Mediação: Walter Couto (USP)




Quinta-feira, 08 de outubro – 19h – 22h

Diversidades e resistências: uma luta de todes

A Biblioteconomia, em especial a brasileira, tem nos últimos anos lançado luz sobre temas até então pouco explorados ou mesmo, silenciados, mas que possuem relação direta com a formação e a atuação dos(as) profissionais, com as bibliotecas e sobretudo, com a sociedade, que são as temáticas Africana, Afro-brasileira e da comunidade LGBTQIA+. É importante refletirmos sobre as raízes desta questão para a compreensão, o respeito e a ação frente às diversidades e as resistências necessárias em prol de profissionais mais engajadas e bibliotecas mais representativas.

Zanza Gomes (UFG) – Resistências, Bibliotecas e seu papel com a diversidade étnica  e os enfrentamentos diários das Bibliotecárias negr@s.

Nathália Romeiro (UFMG) – A comunidade LGBTQIA+, diversidade e profissionais mais representativos

Mediação: Débora Jardim Jardim (Editora Palavreado)




Sexta-feira, 09 de outubro – 19h às 22h

Democratização e Bibliotecas: espaços que melhoram o mundo 

Necessitamos construir instituições eficazes e inclusivas em todos os níveis, no intuito que estas promovam a justiça social e a cidadania,  tendo as práticas de leitura como instrumento para o desenvolvimento da equidade social e cultural e, para conscientizar a sociedade que os meios para a implementação de políticas públicas perpassam pelas bibliotecas. A Leitura nas prisões e nas comunidades periféricas necessitam de políticas inclusivas para tornar o mundo menos desigual.

Daniella Pizarro (Udesc) Bibliotecas prisionais e políticas públicas para fomento à leitura

Cida Fernandez (Centro de Cultura Luiz Freire) – Bibliotecas comunitárias. Políticas inclusivas,  justiça social e cidadania.

Mediação: Erica Verçoso (Prazer em Ler)